terça-feira, 7 de outubro de 2008

Do preto e branco


Que graça tem essa gente branca e preta? Pessoas que insistem em se vestir assim? Do branco eu até gosto. Do preto não. Mas nada contra quem goste.
(Mas, Amor, não me julgue hipócrita se me ver de preto. Algumas situações exigem).
Mas justifico minha implicância: não gosto do preto por causa da sua capacidade de absorver a luz e não refletir. Não gosto da sua qualidade de ser ausente de cor.
Ah! Mas o branco não! Que lindo que é você admirar um diamante refletindo as sete cores. Disso eu gosto. De vida; de capacidade de absorver e refletir; de caixa de lápis de cor.
E é assim a vida que quero: sem muita escuridão. Quero mesmo é a luz do sol incidindo sobre mim. E quero ser reflexo. Quero mesmo é admirar os crepúsculos, as araras-azuis, os pássaros de bico laranja, os poodles brancos, o bulevar dos ipês. Quero mesmo é beber água fresca na minha garrafa roxa. E até admirar a noite escura desde que seja pintada pelo prateado do luar.
Vem que eu te ensino a gostar de branco!
Explicado?!

PS: E que no meu céu tenha sempre um arco-íris.

Um comentário:

analuisarj disse...

Oi Lela!!!

Poxa, obrigada pelo elogio. Adorei sua visita e seu espaço.
É lindo, gostoso de ler.

Apareça sempre que quiser, vai ser ótimo te ver por lá.

Obs.: Sempre haverão arco-íris...aliança de Deus com os homens.

Beijão.